Compartilhe:

São Paulo, dezembro de 2015 – Famoso por sua diversidade cultural, recursos naturais e belas paisagens, o Brasil conta com um mercado de turismo significativo. São cerca de 273 milhões de pessoas viajando pelo país ao ano, seja a lazer ou a negócios. Buscando descobrir o perfil turístico dos nossos municípios, a Geofusion, empresa especializada em Inteligência Geográfica de Mercado, produziu um modelo estatístico que permite prever o fluxo turístico anual das 5.570 cidades brasileiras, com base nos dados do Ministério do Trabalho e do IBGE.

Apesar do volume de turistas circulando pelo país, a maioria dos municípios do Brasil (82%) tem baixo potencial turístico, o que está ligado tanto ao número de turistas recebidos quanto à presença de atrativos como praias, reservas ambientais e atividades ligadas ao patrimônio cultural e ambiental. Assim, o Brasil conta com 975 cidades com potencial turístico significativo. A maior parte dessas cidades concentra-se nas regiões Sudeste (38%) e Nordeste (28%), sobressaindo-se principalmente os estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Bahia, que juntos concentram 50% do fluxo turístico brasileiro.

Os 10 estados com mais turistas acumulam cerca de 80% do fluxo do Brasil

popturtabela
*Percentual de participação com relação ao total de turistas

Os impactos gerados pelo turismo afetam todo o país, com influência em diversos setores da economia. Cerca de 70% dos municípios com potencial turístico apresentam o volume de turistas superior ou igual à população residente. Mas em 65 cidades (6,7%), a população turística ultrapassa em mais de 10 vezes o número de habitantes. O grande destaque desse caso é Rio Quente (GO), cujo número de turistas é 300 vezes maior que o de moradores. O município, que tem menos de 4 mil habitantes, é um exemplo do impacto ainda mais significativo que o turismo traz para cidades menores em comparação às mais populosas. Isso porque os grandes fluxos turísticos nessas cidades podem ter forte impacto sobre as atividades econômicas da região, gerando mudanças significativas no cenário local.

O impacto do volume de turistas comparado à quantidade de residentes também é maior em municípios caracterizados pelo turismo de lazer. Em média, o número de visitantes é quase 500% maior que o total de habitantes dessas cidades, enquanto em municípios voltados ao turismo de negócios os turistas ultrapassam a população local em apenas 17%.

Continuando a analisar as cidades voltadas ao turismo de lazer, ficam em evidência as regiões litorâneas, que representam um total de 60% dos municípios da categoria. Esses locais recebem em média 47 milhões de pessoas ao ano, o que equivale a 64% dos turistas que viajam com este intuito. A cidade turística de lazer com mais visitantes é Praia Grande (SP), com 2,4 milhões de turistas ao ano.

No entanto, apesar do alto impacto dos visitantes nas cidades turísticas de lazer, é nos municípios onde prevalece o turismo de negócios que estão os maiores fluxos turísticos do país: 155 milhões de pessoas visitam essas cidades anualmente, volume mais de 2 vezes maior que o das cidades que se destacam pelo turismo de lazer. De acordo com os dados da Geofusion, o turismo de negócios abrange cerca de 60% dos municípios brasileiros. A região Sudeste recebe quase 50% de todos os turistas desse grupo, sendo que só os estados de São Paulo e Minas Gerais somam 34% deste potencial. O líder desta categoria é a capital paulista, com 14,5 milhões viajantes.