Publicado em 18/07/2022

Mapa digital: O Que é, Tipos e Como Utilizar em Sua Estratégia

Mapa digital: O Que é, Tipos e Como Utilizar em Sua Estratégia

Geofusion Geofusion
LinkedIn
Compartilhe:
mapa digital capa
ebook-onde-esta-quem-e-cliente-ideal

O mapa digital é um recurso que está cada vez mais presente no cotidiano das pessoas. Com o lançamento de novas tecnologias de geoprocessamento, o acesso a informações geográficas ficou mais ágil e até indispensável mesmo para decisões corriqueiras.

Se até anos atrás visitar uma região desconhecida da cidade envolvia depender do auxílio de guias impressos ou mesmo de estranhos nas ruas, atualmente é possível ter uma boa visão de praticamente qualquer local antes mesmo de sair de casa.

Outro caso que mostra o quanto esses dados se tornaram presentes no dia a dia consiste no uso de aplicativos de mobilidade. Empresas como Uber e 99, por exemplo, se destacam no mercado devido à flexibilidade que possibilitam aos usuários.

A receita é relativamente simples: um motorista, um veículo, um mapa disponível no celular e um passageiro são o suficiente para permitir maior liberdade de movimentação nos mais variados horários e lugares.

O que é um mapa digital?

Um mapa digital é uma representação de pontos geográficos e regiões no espaço que oferece a capacidade digital de manipulação. Ou seja, é um tipo de mapa interativo, que gera e recebe informações do usuário.

Esse tipo de modelagem gera um olhar que compreende uma cidade inteira, por exemplo, a partir de seus pontos e consegue analisar correlações, distâncias, rotas, etc.

Diferentemente de um registro físico, estático, o mapa digital é vivo e mutável. Ele recebe dados e personaliza a apresentação de acordo com a interação das pessoas.

Assim, cada vez mais, chegamos perto de uma convergência entre a noção tradicional e geográfica de um mapa e a concepção de mapa como um conjunto de dados.

Nesse sentido, ele deixa de ser somente uma ferramenta de representação estática da realidade e se torna um gerador de insights.

Outro fato que torna especial um mapa digital é o fato de que ele ganha informações em tempo real, a partir da entrada de dados e de filtragens. Se torna um dashboard completo que permite às empresas tomarem decisões e traçarem planos de ação rapidamente.

Contudo, ainda mantém sua característica original: ser uma guia para localização e visualização do espaço de forma ampla e abrangente.

Qual a importância do mapeamento digital na vida das pessoas?

Conhecer as características dos locais, novos lugares, entender aonde ir para conseguir um determinado produto ou serviço: todas essas demandas hoje são respondidas por mapas digitais.

mapa digital uso diário

Vamos, então, estudar a importância dessa tecnologia com alguns pontos principais: mobilidade, segurança e tomada de decisão.

Mobilidade

Os mapas virtuais são essenciais para auxiliar na mobilidade, assim como os mapas tradicionais ajudavam. A diferença é que se pode fazer muito mais com esse aspecto hoje.

As pessoas contam com automação para calcular trajetos, saber como ir de um ponto A a um ponto B da melhor maneira criando roteiros por meio de um mapa digital da cidade, e ainda conseguem traçar o tempo estimado com base em médias.

É possível fazer essa visualização em representações 3D completas.

Os dados de localização em tempo real permitem ajustar rotas e personalizar caminhos, alternando até mesmo o que se vê com base nas decisões.

Assim, qualquer pessoa pode encontrar o que deseja em qualquer lugar do mundo. Os usuários contam com mapas digitais disponíveis em seus smartphones, para acesso rápido e eficiente, sempre que desejarem.

Segurança

Outro ponto é a segurança. Hoje as pessoas conseguem ir aonde quiserem de forma segura, ao identificar a localização exata de onde estão, a distância entre locais, como chegar e outros dados.

Como dissemos, os mapas digitais são grandes geradores de dados, e eles podem ser usados para proteção. É possível evitar locais de alta periculosidade e trabalhar apenas com regiões com maior concentração de pessoas, por exemplo.

Assim, dá para evitar se perder em um local ou tomar uma decisão errada sem base em informações claras.

Tomada de decisão

Nesse sentido, os mapas são úteis também para empresas, em contextos diferentes do uso pessoal e corriqueiro que já comentamos. Eles juntam informações valiosas acerca de locais, bairros, cidades e regiões para facilitar as decisões.

Isso é presente no mercado imobiliário, por exemplo, que se baseia fortemente na localização. É viável escolher os melhores locais para encontrar imóveis para vender ou comprar, com base em análise de inteligência geográfica.

O mapa digital interagindo no seu dia a dia: caso Google Maps

O Google Maps é, provavelmente, o mapa digital mais conhecido no Brasil. O recurso permite a visualização de vários lugares do mundo inteiro, contando ainda com a opção de vista em satélite.

Além disso, os usuários também interagem e contribuem com ele, fornecendo informações para serem acessadas em qualquer parte do planeta.

É o caso, por exemplo, de negócios locais que têm seus endereços cadastrados e facilitam para que potenciais clientes os encontrem.

google maps

Entre eles, está a oportunidade de escrever resenhas sobre os lugares visitados, como restaurantes e bares.

Outra novidade é a sugestão de rotas eficientes de acordo com a situação do tráfego viário do momento, para usuários que acessem o software enquanto estiverem no trânsito.

Por sua popularidade, acessibilidade e agilidade no geoprocessamento de dados, o Google Maps é conhecido por usuários de diversas partes do mundo.

Entretanto, dados similares são utilizados atualmente para diferentes finalidades, como planejamento de gestão pública, tecnologias de segurança, análises de mercado, compreensão sociodemográfica, entre vários outros.

A cartografia nos diferentes segmentos

Nos últimos anos, o uso de mapas tem mudado especialmente a experiência de consumo das pessoas.

Isso porque há empresas dos mais variados segmentos que viabilizam aos usuários informações sobre os espaços que aceitam os serviços delas sem que precisem sair de casa.

É o caso, por exemplo, da Ticket e da Gympass.

Por meio dos aplicativos instalados no celular, o potencial cliente de um estabelecimento pode acessar um mapa digital da cidade em que está para decidir onde ir, considerando desde o início as condições disponíveis, desde que seja contratante de um desses serviços.

Assim, o processo de escolha se torna mais prático e rápido.

Além deles, os aplicativos de mobilidade são casos bastante emblemáticos de corporações que mudam o mercado com a combinação entre cartografia e tecnologia.

A Uber, particularmente, causou e ainda causa debates devido à forma como afetou o segmento de transportes, gerando revolta entre motoristas de táxi e questionamentos em relação ao modelo de negócio que seguem.

Mesmo com esses casos, o aplicativo continua sendo um dos principais utilizados pelos usuários no segmento.

holidays-1283014_1920

O fenômeno também tem impacto, especialmente, no setor turístico. Sites e aplicativos tornam as relações entre hóspedes e anfitriões muito mais simples e, de certa forma, flexíveis.

O Airbnb, por exemplo, possui atualmente mais de 7 milhões de anúncios de hospedagens, distribuídos em cerca de 100 mil cidades, segundo dados divulgados pela empresa.

Assim como TripAdvisor e Trivago, a organização é uma das que ofertam reservas de hotéis e pacotes de experiências de viagens a diversos locais e preços, por meio de cadastros de dados em plataformas digitais.

Ao navegar, o usuário consegue visualizar o mapeamento das opções de hospedagens, já com os preços indicados em cada ponto. Desta forma, facilita a comparação entre os que melhor atendem ao que ele deseja.

Tipos de mapas digitais

O já mencionado Google Maps é um grande exemplo, sendo que seus recursos são muito usados por outras soluções também.

Temos o caso do mapa de empresas de transporte, como o Uber. Há tipos específicos de mapas digitais voltados para motoristas, inclusive, com informações sobre condições da via, congestionamento, maior incidência de eventos inesperados, acidentes e outros.

Dados são alimentados e surgem em tempo real para alertar condutores que estiverem se deslocando ao local. Da mesma forma, rotas podem ser calculadas sempre buscando o menor tempo de viagem possível.

Há mapas específicos que focam na localização de determinados itens, como agências de um dado banco.

Há também o caso dos que utilizam geoprocessamento de dados para análises de negócios. Esse tipo oferece diversas formas de visualização geográfica, com base no que a empresa deseja aprender sobre o nicho.

É possível identificar áreas com maior propensão para negócios e outras questões.

Como surgiram esses recursos?

Devido à relevância e ampla possibilidade de aplicação, não é de se estranhar que softwares do tipo fiquem cada vez mais sofisticados.

De fato, foi especialmente nas últimas décadas que essa área de conhecimento mais se desenvolveu tecnologicamente.

geomarketing-min-3

Essas oportunidades fazem parte de um desenvolvimento intenso dos serviços de cartografia nos últimos anos. Basta pensar que apenas na metade do século passado é que surgiram tecnologias para armazenamento e tratamento de dados desse tipo.

Foi quando surgiram os Sistemas de Informação Geográfica, que seriam viabilizados comercialmente a partir da década de 1980. A princípio, o acesso aos dados ficavam restritos a pesquisadores e organizações com fins bastante específicos.

Foi neste período, inclusive, que houve maior número de estudos utilizando Sistemas de Informação Geográfica. Esse movimento influenciaria no aumento de usuários a partir da década seguinte, devido à acessibilidade possibilitada pela World Wide Web.

No anos 2000, surge o OnMaps, ferramenta pioneira na disponibilização de dados geográficos para o mercado brasileiro. Com isso, as empresas passam a ter muito mais precisão para expandirem suas lojas, pontos de venda ou elaborarem estratégias.

Em conjunto com esses desenvolvimentos, a utilização desse tipo de sistema se massificou.

Surgiram, então, ferramentas como o Google Maps e o Google Earth. Por fim, o serviço de geolocalização também se popularizou, e a cartografia passou a ser uma ferramenta disponível nos dispositivos móveis.

Com o desenvolvimento cada vez mais intenso de novas tecnologias e a união entre ambos os tipos de serviços, hoje em dia é possível ver um mapa digital em praticamente qualquer lugar, desde que haja um dispositivo com certa disponibilidade de recursos.

Como utilizar mapas digitais na estratégia de sua empresa?

Veremos abaixo para que servem os mapas digitais especificamente em usos que visam alavancar os resultados das empresas.

Identificar concentração de pessoas

Mapas virtuais são usados para identificar áreas de maior concentração de pessoas, o que pode ser um bom insight para tomada de decisões. A empresa pode investir na abertura de novas lojas nessas regiões e em promoções específicas para atrair essas pessoas, com base no estudo sobre o perfil delas.

Um ponto de venda em um local muito visitado é interessante como forma de alcançar um público maior. Contudo, essas regiões naturalmente são mais disputadas.

Com uma análise inteligente e abrangente em um mapa, a empresa consegue driblar a concorrência e encontrar o local ideal, que une a alta concentração e a facilidade de conseguir espaço.

identificar concentração pessoas

Melhorar as entregas

É viável também melhorar as estratégias de delivery, com entregas organizadas e específicas. Para traçar melhores rotas e identificar regiões de cobertura das entregas, de uma forma que isso seja lucrativo e eficiente, a empresa pode recorrer aos mapeamentos.

Identifica áreas mais quentes com mapa de calor

O mapa de calor detecta áreas mais quentes e mais importantes em um dado contexto, de acordo com a variável analisada. Pode ser a concentração de pessoas, como já falamos, ou outras questões.

De qualquer modo, a companhia é capaz de saber as regiões mais quentes e as mais frias, bem como as que ficam no meio.

Identificar potencial de consumo

Essa estratégia funciona como responder a perguntas acerca do potencial de um dado local. O mapa ajuda a obter dados sobre as vendas, a movimentação e outras questões cruzadas para levantar uma pesquisa de potencial de mercado.

potencial consumo

Dessa forma, é possível escolher se vale a pena investir naquele local, quais metas são mais realistas e como se preparar para atender à demanda da melhor forma.

Descubra como aproveitar melhor os dados geográficos para análises mais profundas e certeiras!

Os mapas digitais guardam possibilidades riquíssimas para usuários comuns e para empresas. São ideais para localização, para encontrar rotas para condução em um veículo, para encontrar uma rota que oferece o menor tempo e outras questões.

Além disso, oferece um dashboard com dados precisos sobre a geografia de cada local para facilitar as decisões.

Com filtros e análises, a empresa consegue identificar locais ideias para investir, onde não investir, qual é a demanda média para um local em que já atua, entre outras soluções.

Nova call to action
Geofusion Geofusion
LinkedIn
Compartilhe:
Newsletter

Receba nossos conteúdos exclusivos!


Outras postagens

6 formas de planejar e executar sua captação de alunos

Como abrir uma franquia com inteligência geográfica

Sell in e sell out: o que é e como vender mais com geomarketing

Strip Malls: o que são e quais as vantagens no varejo