Publicado em 10/04/2023

Características demográficas: o que são e como aplicá-las no mercado

Características demográficas: o que são e como aplicá-las no mercado

Geofusion Victor Melo
LinkedIn
Compartilhe:
caracteristicas-demograficas-1-min

Estudar as características demográficas de uma região é uma atividade que consiste em entender aspectos da população do local.

Isso inclui número de habitantes, comportamentos das pessoas, movimentações – como fluxos migratórios -, aumento ou decréscimo no número de moradores, além de recortes sociais como gênero, faixa etária, raça, etnia e assim por diante.

“Demografia” é uma palavra que vem do grego demos, que significa “povo”, e graphein, “escrita”. Trata-se, portanto, de uma forma de manter registros a respeito das pessoas e de mudanças que acontecem em diferentes territórios.

Essas análises são bastante utilizadas em áreas como geografia, estatística, inteligência de mercado, entre diversas outras.

Afinal, é a partir de dados como esses que são elaboradas pesquisas, estratégias empresariais, políticas públicas, campanhas publicitárias e várias ações que tenham como foco grupos ou segmentos específicos.

Quer saber mais sobre isso? É só ler este conteúdo abaixo.

O que são características demográficas?

As características demográficas correspondem a definições utilizadas na classificação de grupos sociais e indivíduos.

Elas permitem compreender valores, hábitos, crenças, experiências e até mesmo acesso a bens e serviços que as pessoas acabam tendo em comum.

Por exemplo, crianças até determinada idade costumam frequentar a escola, recebem atividades de acordo com suas capacidades e dependem dos pais não apenas financeiramente, mas também ao saírem de casa.

Isso é algo que muda gradualmente na adolescência ou nos primeiros anos da maioridade, em que, junto aos novos acontecimentos que ocorrem na vida ao longo dessa fase, outros interesses começam a se manifestar – por músicas, profissões, e assim por diante.

Se analisadas pessoas nessa idade que morem em lugares distintos – como, por exemplo, jovens de bairros com alto poder aquisitivo x jovens que cresceram em áreas com poucos recursos -, logo se percebe que se tratam de variáveis demográficas diferentes.

Ou seja, as histórias e visões de mundo desses dois grupos muito provavelmente não serão as mesmas.

Justamente por conta de nuances como essas que as características demográficas são tão importantes e apresentam um grande leque de possibilidades para diferentes setores no mundo inteiro realizarem planejamentos seja no curto, médio ou longo prazo.

Nova call to action

Quais tipos de dados são considerados demográficos?

Uma vez que a demografia consiste na análise de populações em determinados territórios e períodos, alguns indicadores são utilizados para melhor compreensão a respeito.

As taxas de natalidade e mortalidade são alguns dos principais índices utilizados internacionalmente.

Mas existem muitos outros dados acompanhados por empresas, institutos e organizações para obterem precisão em suas ações. Confira alguns deles:

Tamanho da população

Essa informação representa o conjunto de pessoas que moram ou de alguma forma se fazem presentes em um determinado espaço, como no caso do número de habitantes de uma determinada cidade.

Entender a quantidade populacional de um lugar permite, por exemplo, que empresas entendam quantas pessoas é possível atingir com suas ações, o tamanho dos estabelecimentos que poderão abrir em um único lugar, e assim por diante.

Renda média

Consiste em um cálculo a respeito do quanto uma população costuma ter de rendimento mensal.

Trata-se de um dado que indica não apenas o poder de compra de um local, mas também se o interesse de consumidores em uma mesma condição está mais próximo de produtos premium ou promocionais, por exemplo.

Gênero

Diz respeito a determinadas características com as quais alguém se identifica.

Esta é uma informação bastante utilizada por segmentos como moda, cosméticos e de higiene pessoal para definir onde irão direcionar seus produtos e realizar campanhas de divulgação.

População rural ou urbana

O tipo de território onde uma pessoa vive diz muito sobre a dinâmica comercial local e as oportunidades disponíveis.

Enquanto grandes cidades costumam ter alto número de moradores e comércios, além de maior diversidade em relação a segmentos da economia, áreas rurais podem ter predominância de produções agrícolas e industriais.

Faixa etária

As preocupações e preferências de consumo variam conforme a idade. Enquanto jovens tendem a investir em faculdades e cursos livres, quem é mais velho e tem uma carreira estabelecida talvez esteja mais interessado em usar seu dinheiro na compra de um imóvel, por exemplo.

Isso se reflete também em inúmeras outras escolhas feitas ao longo da vida, como estilo de roupa, meios de comunicação pelos quais se informa e assim por diante. Por isso, muitas empresas levam a geração como importante fator em suas análises.

Nível de instrução

Essa é uma das características demográficas mais utilizadas principalmente pelo setor educacional, e diz respeito ao quanto as pessoas têm de escolaridade – como ensino fundamental, médio ou superior. 

Afinal, lugares com alta quantidade de alunos formados no ensino médio representam oportunidades para abertura de novas unidades de ensino superior, por exemplo.

Índice de Desenvolvimento Humano

Bastante estudado para mensurar a qualidade de vida de um local, o IDH “resume” o acesso que a população possui a aspectos como renda, educação e saúde.

Este dado funciona como um “termômetro”, pois territórios nos quais esse indicador é alto podem atrair novos moradores, comércios, imóveis e apontar para toda uma mudança na dinâmica mercadológica ao longo dos anos.

caracteristicas-demograficas-2-min


Como fazer uma análise demográfica?

O primeiro passo é definir quais os objetivos que se pretende atingir para, a partir de então, selecionar os dados que farão parte da análise.

No mundo empresarial, é comum que os profissionais utilizem a inteligência geográfica – geralmente por meio de softwares – para compreender os locais com maior potencial de  venda de seus produtos e serviços.

Nesses casos, elas fazem uma seleção com base em critérios que consideram mais relevantes para atingir seu público-alvo.

Por exemplo, algumas redes de varejo têm forte presença em regiões específicas do Brasil, e então investigam formas de aumentar essa atuação onde sua marca já está bem estabelecida.

Outras preferem desbravar novos lugares e, assim, avançar aos poucos na conquista de espaço nesse mercado, abrindo novas lojas..

Isto é, se um supermercadista com foco em públicos de baixa renda cresce em capitais no Centro-Oeste, ele pode usar as características demográficas de seus clientes e procurar outros similares em municípios do interior ou mesmo de outras regiões.

Para que essa estratégia se concretize, é necessário fazer mapeamentos precisos, consultando ferramentas de mercado, dados disponíveis em sites da internet e inclusive cruzar com bases internas.

Uma vez identificados lugares em que o perfil de consumo das pessoas é parecido com os de onde essa rede já atua, as chances de obter sucesso na abertura desses novos pontos se tornam muito maiores.


Quais as principais características demográficas do Brasil?

Em qualquer escala geográfica, é possível obter uma média dos perfis que há no território em análise.

Ou seja, se somar toda a quantidade de homens e mulheres em um município e dividir pela população total, o resultado obtido será um percentual que indica qual gênero é predominante naquele território.

Cálculos como esses são aplicáveis a inúmeras variáveis: renda média, empregabilidade e assim por diante.


Se o Brasil fosse composto por 100 pessoas

Mas existe uma forma mais fácil de entender isso, como no infográfico abaixo. Nele, consideramos como seria o Brasil se ele fosse composto por 100 pessoas.

A partir disso, selecionamos algumas características demográficas e ilustramos qual seria a representatividade de cada uma delas.

se-o-brasil-fosse-composto-por-100-pessoas-infografico

Como é possível perceber, dependendo dos dados observados e da forma como eles são filtrados, inúmeros insights podem ser extraídos em estudos como esse.

Neste recorte utilizado, logo se percebe que a maior parte da população mora em áreas urbanas, com predominância de homens adultos, moradores da região sudeste do país, sem ensino médio completo e que ganham entre R$ 1.378 e R$ 4.458 por mês.

No entanto, é importante notar, também, que essa é uma representação resumida das 214,3 milhões de pessoas que vivem no território nacional.

Um estudo de mercado que tenha como foco de atuação o Rio Grande do Sul, utilizando as mesmas variáveis, pode se deparar com informações bastante distintas de alguém que esteja em Minas Gerais, por exemplo.

Portanto, essas análises estão relacionadas tanto aos filtros utilizados quanto aos aspectos locais de onde se está observando. Quanto mais granulares, maior é a vastidão de possibilidades de atuação.

E que tal saber mais sobre isso? Preparamos um material incrível com tudo que você precisa saber sobre inteligência geográfica de mercado.

Confira clicando no banner:

Nova call to action

Geofusion Victor Melo
LinkedIn
Compartilhe:
Newsletter

Receba nossos conteúdos exclusivos!


Outras postagens

12 tipos de estoque no varejo e na indústria

Rota de vendas: como fazer com geomarketing

Canais indiretos: o que são e como alcançá-los com geomarketing

Loja perfeita no varejo: o que é e como tornar o ponto de venda mais eficiente