Publicado em 12/12/2023

Tipos de franquias: tudo o que você precisa saber

Tipos de franquias: tudo o que você precisa saber

Geofusion Victor Melo
LinkedIn
Compartilhe:
Tipos de franquias

Entender quais tipos de franquias existem no mercado no Brasil é o primeiro passo para quem busca empreender nesse modelo de negócio.

Ainda mais quando essa escolha conta com o suporte de especialistas no assunto que identificam as melhores oportunidades através da análise de mercado.

Afinal, decidir sozinho em qual franquia investir pode te levar a tomar decisões equivocadas e acabar com as chances de sucesso do negócio.

Por isso, preparamos esse conteúdo com tudo o que você precisa saber sobre os diferentes tipos de franquias, quais as melhores para investir e o que você precisa levar em conta para tomar essa decisão.

Continue lendo e confira!

O que são franquias?

Franquias são modelos de negócio no qual uma empresa (franqueadora) concede a outra pessoa ou empresa (franqueada) o direito de operar um negócio, utilizando sua marca, métodos e sistemas. Essa relação é estabelecida por meio de um contrato de franquia.

A franqueadora fornece à franqueada todo o suporte necessário, incluindo treinamento, apoio de marketing, fornecimento de produtos ou serviços, e acesso a métodos comprovados de operação do negócio. 

Em troca, a franqueada paga taxas à franqueadora, que podem incluir taxas iniciais, royalties periódicos e taxas de marketing.

O objetivo desse modelo é replicar o sucesso de um negócio já estabelecido através de unidades adicionais operadas por terceiros, expandindo a presença da marca e aumentando a eficiência operacional. 

Franquias podem ser encontradas em vários setores, como alimentação, varejo, serviços e outros.

Esse modelo beneficia tanto a franqueadora, que expande sua presença sem assumir todos os riscos e custos de novas operações, quanto a franqueada, que tem a oportunidade de começar um negócio com o suporte de uma marca já reconhecida no mercado.

10 tipos de franquias mais comuns no Brasil

Existem diversos modelos de negócios, que se adaptam às diferentes condições financeiras e estruturais dos empreendedores. Isso sem contar nos próprios objetivos estratégicos, suas missões e valores e o público que você deseja atingir.

Dessa forma, é importante levar em consideração diversos fatores na hora de escolher a franquia ideal para a sua empresa.

Vamos começar conhecendo 10 tipos de franquias mais comuns aqui no Brasil:

1. Franquia unitária

É um dos tipos mais comuns, onde o franqueado compra do franqueador o direito de abertura de um ponto de venda da marca, em uma região determinada pelo franqueador.

No caso de uma loja em um shopping, por exemplo, o franqueado possui exclusividade de atuação da marca naquela localidade.

Ou seja, o franqueador dono da marca fica impedido de abrir outra unidade de sua franquia nesse mesmo shopping.

Porém, nada impede que o franqueado adquira outras unidades em regiões que ainda não tenham pontos de venda da marca.

Leia também: Loja de rua ou shopping?

2. Franquia master

No caso da franquia máster, o franqueado adquire do franqueador o direito de abrir vários PDVs (pontos de venda) da marca em uma região estipulada.

Ou seja, o franqueador tem a obrigação de abrir várias lojas na região que lhe foi concedida, ou pode terceirizar essa implementação dentro da sua região, ganhando escalabilidade.

Por exemplo, o franqueado adquire uma região de exclusividade, abre duas unidades por sua conta e terceiriza a abertura de mais dois ou três estabelecimentos dentro da sua região.

Apesar de o investimento inicial ser alto, o retorno é proporcional, pois além do lucro dos seus pontos de venda, o franqueado recebe parte do faturamento de todas as unidades de sua região.

3. Franquia de desenvolvimento de área

Este modelo possui similaridades em relação à franquia máster, como o fato de o franqueado ficar responsável pela expansão em territórios específicos.

No entanto, uma diferença importante nesse tipo de contrato é que o franqueado não pode repassar este compromisso a sub-franqueadores – embora possa vender suas unidades a outros empreendedores.

Ou seja, neste caso as operações das lojas ficam mais centralizadas em um único representante, incumbido de investir no crescimento do mercado local.

Essa é uma estratégia de expansão comum realizada por empresas que visam aumentar seu market share em âmbito nacional ou mesmo internacional.

4. Microfranquia

Com a economia do país voltando ao normal, Muitos brasileiros buscam empreender em microfranquias, já que o investimento inicial costuma ser bem menor do que nas franquias maiores e mais disputadas.

De fato, o capital de entrada para abrir uma microfranquia varia entre R$ 22 mil a R$ 86 mil, sendo considerada uma boa opção para quem está começando no universo das franquias.

Além de produtos, é possível encontrar microfranquias de serviços especializados, que não demandam locais fixos de comercialização, já que o franqueado presta o serviço direto na residência do cliente.

O retorno do capital investido acaba aparecendo rápido, porque geralmente o próprio franqueado é quem atua na frente do negócio, evitando gastos com contratação de funcionários.

5. Home based

Outro tipo de franquia que demanda menor custo de investimento é a chamada “home based – do inglês “baseada em casa”.

Além de não ser necessário aplicar dinheiro na compra ou aluguel de espaços para lojas, muitas vezes há economia inclusive na contratação de funcionários.

Isso porque, no franqueamento home based, a oferta de produtos ou serviços geralmente ocorre por meio de canais digitais – como e-commerces, por exemplo.

Desta forma, o franqueado não precisa nem mesmo de um escritório, chegando a ser mais viável até mesmo que trabalho home office, e servindo como porta de entrada para seu crescimento no ramo.

6. Shop in Shop

Esse modelo de franquia pode ser traduzido como “loja dentro de uma loja”, também conhecido como “business in”, e é exatamente assim que ela deve funcionar.

Quando um empreendedor já possui um comércio aberto, ele pode implementar no estabelecimento um ponto de venda de uma franquia, como um quiosque lá dentro.

Muitas vezes, os produtos ou serviços da franquia vão complementar o que já está sendo comercializado ali.

Pode ser, por exemplo, uma franquia de bijuterias dentro de uma loja de roupas femininas ou de cosméticos em um salão de beleza.

O objetivo é potencializar o lucro dos dois empreendimentos, aproveitando o público que já frequenta o local e atraindo também novos clientes.

7. Franquia de Conversão

Franquia de conversão é uma opção para um empreendedor que já possui um negócio e deseja transformá-lo em uma unidade de franquia do mesmo segmento.

Algumas das vantagens dessa transição é contar com a padronização dos produtos ou serviços oferecidos, aproveitar a expertise da marca no processo de venda e ainda poder usar todas as estratégias de marketing que aquela franquia já possui.

Os empreendedores dos mais diversos segmentos podem investir nessa conversão, como academias, pet shop, escolas de idiomas, farmácias, lavanderias e mercados.

Com isso, um estabelecimento simples de bairro pode passar a ser uma rede de franquia conceituada no mercado, ampliando sua visibilidade e mantendo o atendimento dos clientes que já frequentavam o local.

8. Franquia Combinada

Na franquia combinada, diferentes redes de negócios dividem um mesmo ponto comercial, com produtos ou serviços que se complementam.

Nesse modelo de empresa, um único franqueado adquire as franquias, com consentimento dos franqueadores em integrar as marcas.

Um exemplo comum desses tipos de franquias no Brasil são os postos de gasolina que instalam no local uma loja de conveniência.

9. Franquia industrial

Embora ainda não seja tão conhecido, também existem indústrias que investem no sistema de franchising como forma de se aproximar de seus consumidores finais.

Para isso, elas utilizam a patente de seus produtos, serviços ou marcas em negociação com os franqueados, que passam a fazer a comercialização em condições específicas.

Essa é uma estratégia que permite às fabricantes reduzirem a dependência de intermediários como distribuidores ou centros de distribuição.

Assim, conseguem definir processos e políticas que estejam mais alinhadas às suas marcas na oferta de experiência de atendimento de qualidade aos clientes finais.

10. Franquia social

Diferentemente dos outros tipos de franquias, este é um modelo que não possui fins lucrativos, sendo sua administração realizada por fundações, institutos, associações civis ou empreendedores sociais.

Suas atividades principais estão relacionadas à promoção de ações de sustentabilidade, qualidade de vida, inclusão ou mesmo assistência a necessidades básicas da população.

Assim como as companhias comerciais, essas franquias se organizam de acordo com a Lei do Franchising, havendo compartilhamento de conhecimento técnico e investimento na expansão do projeto.

No entanto, neste caso o foco está totalmente na manutenção das operações e replicação entre os parceiros para ampliação de seus programas.

Como escolher o tipo de franquia para abrir no Brasil

Como você viu, são diversos os tipos de franquias que você pode abrir. Mas como saber qual é o melhor para o seu negócio?

Veja agora alguns fatores importantes para analisar antes de fazer a sua escolha.

Seu perfil de empreendedor

Um dos aspectos fundamentais na hora de escolher a sua franquia é fazer uma autoanálise do seu perfil empreendedor.

Os riscos que você aceita correr, os nichos nos quais você sobressai, algum background que você já tenha e outras características devem pesar antes da escolha.

Nesse sentido, é de extrema importância entender quais são os seus objetivos em termos de expansão. Assim, é possível selecionar o ramo que mais se adapta ao que você procura.

Reputação da marca

Para escolher uma franquia, é preciso avaliar bem como as empresas estão conquistando seus clientes e qual é a sua imagem predominante no mercado que sua franquia ficará associada.

Isso é importante até mesmo para que o projeto esteja adaptado ao posicionamento já existente daquela companhia.

Filtre entre as opções para escolher as organizações com melhor reputação e potencial, pois isso facilitará o alcance dos seus objetivos.

Experiência anterior dos franqueados

Vale também estabelecer um diálogo com quem já trabalha com aquela marca franqueadora. Assim, você conhecerá as peculiaridades, as vantagens e os problemas envolvidos com aquela franquia.

A experiência dos outros deve guiar os empresários na escolha entre os tipos de franquias existentes. É importante ser criterioso e crítico, mas considerar que nenhum tipo de negócio é perfeito. O fundamental é garantir uma parceria que não comprometa os seus objetivos.

Lucratividade

Se o objetivo da franquia é se manter no mercado e alcançar números expressivos em termos de lucros, é evidente a necessidade de olhar os índices de lucratividade daquele negócio e nicho.

Assim, você pode fazer um prognóstico para verificar se aquela franquia é interessante para suas metas.

A análise de lucratividade leva em conta fatores importantes, como as flutuações comuns e o potencial de mercado.

Nesse sentido, uma boa solução é utilizar uma ferramenta de análise de dados que ofereça a capacidade de previsão certeira do potencial de vendas.

Números do segmento

Além da lucratividade, é interessante fazer um apanhado dos números gerais do negócio, o que inclui conversões, resultados de marketing, fidelização, satisfação de clientes, etc.

Em suma, é como ter uma visão quantificável do impacto da empresa no mercado, para a avaliar de forma segura e séria se aquela franquia é viável.

Analise a proposta do franqueador

Na escolha entre os tipos de franquias, é crucial também ter um olhar atento às características da proposta do franqueador.

Avalie taxas, termos de contrato, prazos, suporte, treinamentos e como cada franqueadora aplica os pilares da COF (circular de oferta de franquia).

Essa análise é um pouco mais técnica e pode demandar até mesmo uma ajuda especializada. Contudo, se faz importante para filtrar bem entre as opções e evitar uma decisão errada.

Projeções e antecipações já feitas

É importante analisar as projeções já feitas pela empresa e os objetivos da franquia para os próximos anos.

Isso é um pouco diferente de uma análise de dados propriamente dita, pois engloba também a percepção subjetiva da própria empresa acerca do negócio e do ramo em que opera (passa por uma definição da missão também).

Essa análise do futuro compreende também riscos e oportunidades, em igual medida.

Geomarketing

Vale também destacar o poder do geomarketing, como uma ferramenta robusta para suporte à tomada de decisão.

Antes de escolher entre os tipos de franquias no Brasil, o empreendedor pode conduzir uma análise aprofundada de áreas com maior potencial de vendas, do comportamento do consumidor e de regiões com maior concentração de oportunidades.

É possível fazer um cruzamento entre os dados daquela marca e o impacto na região onde a franquia será aberta, por exemplo.

Isso será crucial na escolha, uma vez que torna transparente as possibilidades de sucesso e os riscos.

5 Tendências em franquias no Brasil

Então quais são as tendências em franquias para os próximos anos? Veja a seguir.

1. Crescimento fora dos grandes centros

Uma das tendências expressivas é o crescimento descentralizado, que contempla locais fora dos grandes centros de atenção. Ou seja, unidades de franquias em regiões do interior para buscar uma parcela geralmente ignorada do mercado.

2. Consumidor

Nesse novo momento, é importante estar sensível às novas decisões e à nova postura do consumidor

O cliente na atualidade requer uma mudança na forma como as empresas enxergam a relação de consumo, uma vez que ele é mais autônomo e busca por soluções para agilidade e otimização de processos.

Esse novo consumidor quer rapidez, quer novas experiências e quer uma relação mais próxima com as marcas. Nesse sentido, o franchising deve estar conectado com essa tendência para que os projetos de fato sejam bem-sucedidos.

3. Formas de pagamento

Com o sucesso do PIX, houve uma flexibilização nas formas de pagamento, com maior descentralização e diversidade.

Nesse sentido, é preciso universalizar as estratégias ao abranger cada vez mais opções, ao mesmo tempo em que é necessário personalizar para oferecer exatamente o que seu cliente precisa.

As formas de pagamento fazem parte do pacote da experiência, o que é determinante para o sucesso de uma franquia.

Mesmo já começando com um nome poderoso, cada unidade deve reforçar esse cuidado se quiser se estabelecer localmente e não destoar do resto da rede.

4. Delivery

Uma tendência a ser explorada nos negócios, principalmente as franquias, é o delivery.

Após as restrições de deslocamento da pandemia de covid-19, as entregas se tornaram um padrão no mercado e efetivas na determinação de uma boa experiência.

Assim, é necessário pensar um negócio adaptado e otimizado para entregas, com apoio da tecnologia para melhorar os processos.

5. Investimento em tecnologia

A tecnologia está por trás de todos os processos das empresas, independentemente do porte. Grandes organizações franqueadoras e unidades franqueadas também seguem esse ritmo do mercado.

Por isso, antes mesmo de começar um projeto de franquia, é importante pensar em inserir a tecnologia no dia a dia e adaptar as operações para o melhor uso das soluções inovadoras tecnológicas.

Um exemplo disso é o uso de análise de dados, de geomarketing e de inteligência geográfica para escolher locais onde abrir unidades, qual mercado explorar e outras decisões. A Geofusion, inclusive, pode ajudar o seu negócio nesse quesito.

Qual a diferença entre franquia máster e unitária?

Na franquia máster, o franqueado adquire do franqueador uma região onde poderá instalar várias unidades da mesma rede, podendo inclusive terceirizar parte das unidades e lucrar com uma porcentagem de faturamento delas.

Já na franquia unitária, o franqueador concede a abertura de uma unidade em um local determinado por ele, sendo que o franqueado pode adquirir mais de uma unidade em diferentes locais, conforme seu poder de investimento.

Quais as maiores franquias do Brasil?

De acordo com informações da ABF (Associação Brasileira de Franchising), as maiores redes de franquia do país são:

  • Cacau Show;
  • O Boticário;
  • McDonald’s;
  • Colchões Ortobom;
  • Odontocompany.

Qual tipo de franquia abrir?

Na hora de escolher qual tipo de franquia abrir, além de pensar no capital que você tem disponível para investir no negócio, é importante pesquisar o ramo de atuação.

Isso porque, geralmente, o franqueado faz parte da rotina do negócio, trabalhando no comando do ponto de venda ou até mesmo prestando o serviço oferecido.

Então, considere um ramo que você gostaria de atuar ou que já possui algum conhecimento, e evite os segmentos que não se identifica.

Para te ajudar na escolha, confira nosso artigo com as 10 tendências de mercado para 2022.

Qual a melhor franquia do momento?

Não existe uma única franquia que seja a melhor no momento, muitas redes oferecem ótimo suporte aos franqueados com previsão de boa rentabilidade.

Fatores como a localização, o segmento de atuação e a concorrência que essa região já possui devem ser considerados.

Por isso, contar com o suporte de especialistas faz toda a diferença no sucesso do negócio, então não deixe de conferir as soluções que a Geofusion pode te oferecer.

Agora que você conhece os diferentes tipos de franquias no Brasil, pode estudar qual delas faz sentido para você e planejar os próximos passos para se tornar um franqueado de sucesso.

Esperamos que você tenha gostado deste conteúdo. Continue acompanhando nosso blog para saber muito mais sobre geomarketing, mercado de franquias e varejo.

Nova call to action
Geofusion Victor Melo
LinkedIn
Compartilhe:
Newsletter

Receba nossos conteúdos exclusivos!


Outras postagens

12 tipos de estoque no varejo e na indústria

Rota de vendas: como fazer com geomarketing

Canais indiretos: o que são e como alcançá-los com geomarketing

Loja perfeita no varejo: o que é e como tornar o ponto de venda mais eficiente